22/09/2009

FMU celebra a paz mundial

FMU celebra a paz mundial

No tradicional ritual xintoísta o sacerdote-mor Kazuo Osaka, do Templo Nombei Jingu, celebrou a plantação de três mudas de Ginkgo-Biloba no jardim do Complexo Educacional FMU, no último sábado (19/9). A árvore foi a primeira manifestação de vida após a explosão da bomba atômica em Hiroshima e, desde então, é símbolo da paz mundial.

A professora Cristina Pereira de Araújo, coordenadora do curso de Gestão Ambiental da FMU, representou a Instituição na cerimônia, enumerando os esforços do Complexo na educação pela preservação ambiental.

O idealizador do evento, Senhor Yasuyuki Hirasaki, diretor do Centro Cultural de Hiroshima do Brasil e GHP (ex-alunos do Colégio Paulistano), agradeceu ao Complexo pela oportunidade. “Manifesto nossos sinceros agradecimentos ao Complexo Educacional FMU pela possibilidade de desejar a paz mundial”, disse. Hirasaki é o mais jovem sobrevivente da bomba – ele estava na barriga da mãe quando houve a explosão, em 1945.

Também participaram do evento autoridades ligadas ao meio-ambiente e à comunidade japonesa no Brasil, como a professora Rose Marie Inojosa, que representou a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente; o deputado estadual Hélio Nishimoto, da Assembléia Legislativa de São Paulo; o ex-vereador Aurélio Nomura; o presidente do Centro Cultural de Hiroshima do Brasil, Sr. Hiromu Ohnishi; o vice-presidente da Associação Nagasaki Kenjin do Brasil, Sr. Masao Okawa; o presidente da Associação Miyagui Kenjinkai do Brasil, Sr. Koichi Nakazawa; e o ex-coordenador-geral do Programa Viva Japão, professor Hiroyuki Hino.

 

Autoridades reunidas

Profa. Cristina Araújo ajudando na plantação de uma das mudas

Convidados durante cerimônia Xintoísta

Página atualizada em 22/09/2009 às 13h20