01/06/2007

Design de Transportes para São Paulo

Design de Transportes para São Paulo

Desenvolvimento de veículo destinado a entregas expressas e logística para e-commerce

Este Trabalho de Graduação foi desenvolvido para ser o agente centralizador da reorganização das atividades de entregas expressas (conhecidos atualmente como motoboys), apoiado em uma projeção de crescente demanda por comércio eletrônico no Brasil, para circular nas ruas em 2010/2011.

Após o levantamento de problemas relacionados à segurança dos profissionais, relação com o tráfego urbano e logística para pequenas entregas, o resultado foi a falta de padronização e coerência dos veículos utilizados na atividade. As entregas expressas hoje representadas pelos motoboys tornaram-se indispensáveis ao fluxo de objetos e documentos entre empresas e clientes, e a demanda por frete com baixo custo para atender aos sistemas de comércio eletrônico motivaram o desenvolvimento do projeto.

A análise das tendências e demanda de mercado para entregas expressas, questões de segurança, a pesquisa com empresas e usuários, as entrevistas com especialistas do setor e a observação constante da atividade na ruas e empresas obtiveram um peso maior durante sua concepção, visando não somente o uso pelo piloto, mas relacionando-o com as empresas, consumidores e ao tráfego urbano. A motocicleta utiliza basicamente uma estrutura mecânica e eletroeletrônica dos modelos em produção, assim como seus materiais (apenas foi substituído o Poliuretano do assento por Fibra de Coco). Houve um cuidado com todas as atividades realizadas pelo profissional e seu sistema de trabalho, o que possibilitou propor soluções técnicas de design totalmente voltadas para uma motocicleta criada para o trabalho.

Devido aos públicos distintos (motoboys autônomos e empresários de logística), desenvolveu-se um veículo capaz de transportar pequenas cargas, mas também servir como transporte para passageiro, prevendo o uso do modelo para fins pessoais fora do expediente de trabalho e também a atividade de moto-táxi no interior do Brasil. Também foi utilizada energia alternativa (GNV – Gás Natural Veicular) propondo melhores níveis de emissão de poluentes e economia na manutenção do sistema. O modelo para o mercado nacional é viável para outros mercados consumidores, como a China por exemplo.

Encosto reclinável (transforma-se em assento para passageiro), nova posição de dirigir e de acesso ao veículo, novo sistema de iluminação distinguindo e alertando com eficiência a presença do veiculo no tráfego, maior capacidade de carga, combustível alternativo, uso de pára-brisa (contra linhas, vento, fumaça, pedriscos, etc), uso opcional de baú de carga, possibilidade de anexar a mochila à moto e não ao motociclista (garantindo agilidade e eliminando um risco de segurança), pintura fosca (reforçando robustez), concepção pensada para o trabalho (projeto pioneiro), porta-objetos dianteiro (uso de sistemas eletrônicos e de navegação), centro de gravidade mais baixo para maior estabilidade, rodas maiores para maior conforto, dimensões compactas gerando agilidade, iluminação por LEDs, opções de baú (térmico, redução de vibrações, prateleiras), novo acesso à bagagem (lateral, com chave, ao lado da calçada), entre outros, são características do veículo voltado ao trabalho.

O resultado é uma proposta de humanização, padronização e regulamentação para a atividade, otimizando tarefas e processos, atendendo a necessidades de segurança e de ordem financeira para empresas, profissionais e consumidores.



Página atualizada em 01/06/2007 às 0h00