17/10/2018

Biólogos, os heróis de tubos nas mãos

Os resultados dos estudos em uma nova forma de tratamento do câncer levam um biólogo a ganhar o premio Nobel de fisiologia 2018

Estamos acostumados a imaginar que grandes heróis da nossa sociedade irão aparecer (ou prometem aparecer) com mudanças significativas e que podem transformar a realidade de uma outra para outra, como um passe de mágica. Mas quando os verdadeiros heróis estão calados, escondidos e concentrados por horas e anos dentro de laboratórios estudando, pesquisando verdadeiras mudanças nas nossas vidas? Esse é o trabalho dos cientistas, os heróis com tubos nas mãos.

Um exemplo foi na semana passada quando o resultado do prêmio Nobel, uma das maiores premiações no mundo, trouxe uma agradável notícia em especial a pesquisadores da área das ciências biológicas: o biólogo James P. Alisson dividiu o prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina com o médico Tasuko Honjo por suas contribuições com a imunoterapia para o tratamento de tumores, forma essa de tratar o câncer que tem salvado milhões de vida no planeta.

“Foi do trabalho de anos a partir dos conhecimentos básicos de Imunologia e Fisiologia, duas grandes áreas das ciências biológicas, que os pesquisadores puderam propor, estudar e revolucionar o tratamento de tumores. A mensagem que um reconhecimento como esse pode trazer para o jovens que querem ser biólogos, cientistas é que o tralho cientifico exige dedicação, trabalho árduo e que todas as contribuições são importantes e válidas para contribuir com a sociedade”, diz o professor Daniel Manzoni de Almeida, professor de imunologia e pesquisador de cultura e educação científica da Escola de Ciências da Saúde da FMU.

Mas qual a importância social de um reconhecimento como esse de um biólogo-cientista na nossa sociedade?

Para o Professor Allan Pscheidt, coordenador do curso de ciências biológicas da Escola de Ciências da Saúde da FMU: “Um prêmio sempre chega com felicidade na vida de um biólogo, seja um estudante de biologia ou pesquisador famoso concorrendo ao Nobel. A homenagem traz reconhecimento de anos de dedicação, em prol da saúde da população ou do planeta, muitas vezes sem viabilidade alguma na mídia ou pelo governos. Se uma droga promove a cura de uma doença ou ainda que uma pequena melhora um quadro antes irreversível, é graças aos esforços de biólogos e outros cientistas que todos os dias trabalham por um mundo melhor. Eles muitas vezes nadam contra uma corrente de ignorância, cegueira e falta de compreensão. As vezes um grão tem destaque, se juntam e formam uma pérola e recebe o prêmio por seu trabalho. A esses e a todos os grãos devemos agradecer e homenagear. O premio Nobel é um exemplo mais claro da importância dos biólogos para todas as áreas. Biólogos são heróis anônimos, desconhecidos, mas que todos os dias promovem uma nova forma de salvar alguma parte da complexidade do mundo”


Página atualizada em 17/10/2018 às 17h45