22 de Maio

FMU e GAASP fecham parceria na realização do Encontro Nacional de Apoio à Adoção

FMU e GAASP fecham parceria na realização do Encontro Nacional de Apoio à Adoção

O evento contará com palestrantes nacionais e internacionais entre os dias 22 a 24 de maio

“Uma criança adotada muda uma família. Um milhão de adoções muda o mundo”. É com essa filosofia que o Grupo de Apoio à Adoção de São Paulo (GAASP) e o Complexo Educacional FMU realizam o XIV Encontro Nacional de Associações e Grupos de Apoio à Adoção (ENAPA 2009). O evento acontece entre os dias 22 e 24 de maio e terá como tema “São Paulo: Terra Adotiva”. Na ocasião, será iniciada a construção de uma rede latino-americana de apoio à adoção, com a realização simultânea do I Encontro Latino-Americano de Apoio à Adoção.

O Complexo Educacional FMU é sede do evento, que receberá representantes da Venezuela, Equador, Peru, Paraguai, Argentina e Uruguai. O objetivo do Encontro é possibilitar a troca de experiências entre os grupos, ressaltando as principais dificuldades vivenciadas e as soluções encontradas que podem ser multiplicadas.

Os inscritos poderão participar de debates, palestras e reuniões sobre os desafios do processo de adoção. “O 14º ENAPA será, portanto, um espaço a partir do qual será possível mobilizar mais esforços para fazer valer a responsabilidade maior de todos os cidadãos”, explica Mônica Natale de Camargo, Presidente do GAASP. “Além disso, o encontro terá o seu eixo central de debates organizado em torno do Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária”, explica.

Esses grupos estão inseridos na luta no que diz respeito às ações destinadas a estimular a busca ativa de pais para crianças e adolescentes cujos recursos de manutenção na família de origem foram esgotados, sobretudo, para aqueles que por motivos diversos têm sido preteridos pelos adotantes.
 
“O assunto se insere numa rede complexa, com implicações de ordem jurídica, psicossocial e afetiva. Elas são impulsionadas por motivações muito diversas, sobre as quais o meio social, o horizonte cultural e, especialmente, as vivências familiares exercem profunda influência”, ressalta Arthur Sperandéo, vice-reitor da FMU.